Feeds:
Posts
Comentários

Archive for maio \30\UTC 2008

Pensando lentamente.

Tudo o que eu pedi pra hoje foi um trabalho desses de máquina. Produção em série. E ganhei. Abre o pacote, pega a revista, coloca no envelope, fecha, coloca na pilha, acabam os pacotes, pega os envelopes, cola tudo, um por um, coloca na pilha, amarra, coloca na caixa. Primeiro pedido do dia atendido. Será que estou gastando a sorte já aqui ou ainda tenho mais pedidos? As coisas acordaram estranhas. O pensamento da manhã coincidiu com as idéias formuladas de noite. Dificilmente isso acontece. Até que ponto, também? As coisas acordaram estranhas.

Lendo e relendo pra ver se ainda dói.

Anúncios

Read Full Post »

Sinais.

escrevi um texto lindo de tudo isso. mas o wordpress travou bem na hora. eu acredito nos sinais. eles sempre tentam me ajudar. e eu finjo que era um sinal pra testar minha coragem e como sou muito corajosa passei por cima deles só pra dizer que não existem sinais ou que eu sou forte ou que eu não tenho medo mesmo. mas hoje resolvi acreditar cegamente. e cagar de medo. e contar aqui. só. sem o texto lindo de tudo isso. o word não travou. tá impresso. vai pra gaveta e dorme em paz. precisamos.

pára de pedir pra eu escrever que eu escrevo, porfavor. e continuo escrevendo. até cagar tudo de novo. e escrever ainda mais. pára não.

Read Full Post »

hein?

o que estará

você

fazendo agora?

fico aqui de bobeira imaginando. e querendo

te. 

Read Full Post »

Vontade.

Não conheço outro vício que não seja apenas vontade.

(Jorge Cardoso – Sereias de Bengala)

Read Full Post »

Estátua!

a gente que não sabe o que fazer com a rotina e fica plantando acontecimentos espera o que quando resolve não plantar mais nada? resolve plantar de novo? entra no círculo vicioso? não passa no teste? se tem uma mão aí do seu lado que você está louco pra tocar só pra sentir o calor, você toca ou espera ela te tocar? a Clarice dizia que forçar um prazer era fraqueza. não, ela disse outra palavra. só lembro que era ruim. lá no Livro dos Prazeres. o MELHOR.

eu toco a mão.

Read Full Post »

Só pra não esquecer

de repente eu acredito cegamente. toda essa teoria de se fazer o que tem vontade, de amar, de não deixar pra depois, de me expor, de falar, de gritar, de não ter medo do medo que dá. de repente faz algum sentido. ou parece uma idéia feliz apenas. ou: ufa! esse caminhão de sentimentos pra lidar sempre ao mesmo tempo e se contradizendo é a coisa mais feliz que se tem por aqui. esse medo do medo que dá também vale. faz parte completamente. e falar, gritar, lutar, olhar bem fundo nos olhos só porque eu quero fazer isso agora vale mais ainda. porque é vida. respirando, falando, gritando, tentando, amando o minuto do estar depois de tanto esperar e imaginar. é tanto verbo. tem tanta ação. e tem gente que fica parada com medo do medo que dá. tem gente que fica parada…

feliz com tudo isso: perder a voz; ouvir o coração quase saindo da boca ao lado de tantos corações também saindo da boca; gritar, torcer, pular, o ritmo da bateria; rir tanto que a barriga ainda dói; fazer rir; o funk de todas as diversas opções, créu, velocidade 5, de sainha, daquele jeito, todos dançados incansavelmente pra ele, porque eu lembro bem vagamente daquele dia lá, que faz tempo, mas foi tão tão tão legal e porque eu queria outra coisa também mesmo estando lá e porque eu sou boba e nem ligo de lembrar disso em pleno JUCA; me sentir responsável pela alegria delas, o sorriso delas, a felicidade delas misturando-se com a minha; pessoas legais pra caralho que ainda estão por aí, pra eu encontrar; falar tudinho cantando.

feliz da vida. feliz com a vida. viva.

deixando a ansiedade lá atrás dessas lembranças novas pra não parecer chata. e não irritar de tanta que ainda é a vontade. ainda.

teve a decepção que foi a melhor coisa do mundo também. como pode isso ser bom? e ótimo? não falo mais porque prometi que aqui não era mais espaço pra isso. decepção positiva. não combina? mas é.

imagens da felicidade aqui.

Read Full Post »

Prometendo. Pedindo. Implorando.

a frase ficaria melhor: tem um sorriso sorrindo dentro da minha cabeça quando o dia parece chato.

Repetindo.

Read Full Post »

Older Posts »